Friday, April 30, 2010

Terra de Sândalo

Para Timor, a minha terra

A minha terra é uma lenda
Graças a uma árvore dos reis
Que até hoje chama-se sândalo.

Conquanto apareçam tantas árvores
Só nas crónicas dos vagabundos,
Um orgulho fica no coração.

Não era fragrante o passado
Embora tivéssemos muito perfume,
Assim como tanto mel de floresta.

As nossas mãos tornam-se inimigos
Em frente destas criações de Deus
Quando o desejo é o conquistador.

Oxalá que não sejamos testemunhas
Da perda da riqueza da nossa terra
Porque o futuro sempre nos espera.

Fica fragrante, ó terra de lenda,
Como um bom tronco de sândalo
Que perfumava, perfuma e perfumará.

Poema de Yohanes Manhitu
Yogyakarta, 11 de Outubro de 2005

No comments: